Em ato marcado pelo conteúdo político e em clima de emoção, tomou posse no último sábado (25/11), na sede do Sindicato, a nova diretoria do SindSaúde ABC, que representa cerca de 32 mil trabalhadores da saúde privada e filantrópica da região.

Acrescida de 17 novos membros, a nova direção é composta por 35 dirigentes, sendo 40% mulheres. A eleição ocorreu em fevereiro e a Chapa 1 foi eleita com 96% dos votos, com mandato até 2021.

Participaram da mesa a presidenta do Sindicato dos Psicólogos de São Paulo e secretária-geral da FETSS (Federação dos Trabalhadores em Seguridade Social do Estado), Fernanda Magano, o diretor executivo do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, Wellington Messias Damasceno, o diretor de Finanças da FETSS, Helcio Aparecido Marcelino, a secretária-geral do SindSaúde ABC, Gislene Azevedo, e o presidente do Sindicato, Almir Rogério Mizito.

A emoção ficou por conta das boas-vindas prestadas pelos atuais dirigentes aos novos integrantes da diretoria, que cantaram a música “O Homem Falou”, de Gonzaguinha, que em um dos trechos diz: “E traga o seu coração, sua presença de irmão, nós precisamos de você nesse cordão; pode chegar que a casa é grande e é toda nossa”.

Golpe – Em seus pronunciamentos, os dirigentes foram unânimes nas críticas e alertas sobre a atual conjuntura, de retirada de direitos dos trabalhadores e sucateamento do país, em especial da área da Saúde. “O momento é de luta e por isso estamos convocando todos para a greve geral no dia 5 de dezembro”, disse Fernanda Magano.

“Este é um sindicato muito dinâmico, tanto que ampliou sua diretoria. Nós, metalúrgicos, somos um sindicato irmão e estaremos sempre juntos em defesa da classe trabalhadora”, afirmou Wellington Damasceno.

Para Helcio Marcelino, a experiência da CUT em organizar o setor da saúde é graças ao exemplo do SindSaúde ABC. “Os trabalhadores pertencem a diversas categorias, mas a classe é uma só e o golpe atinge a todos, sem discriminação”, declarou.

Em seu discurso, Almir Rogério Mizito agradeceu pela expressiva votação que a Chapa obteve e destacou a união da diretoria como a força motivadora para as lutas a serem enfrentadas. “Cada diretor, em sua função, vai contribuir para o crescimento da nossa luta, por isso prestamos aqui nosso voto de compromisso com a categoria e a classe trabalhadora. Não estamos aqui para fazer currículo, mas para fazer história”, destacou.

Curso – Pela manhã e até poucos momentos antes da posse, os novos diretores participaram do um curso organizado pela Secretaria de Formação do SindSaúde. Todos receberam certificado de participação.